Internacional

Resenha: Respire

09:00


Título: Respire
Autor(a): K. A. Tucker
Editora: Fabrica 231
Páginas: 320
Ano de Publicação: 2016
Gênero: Romance/ Drama
Nota: 5/5
Livro cedido pela editora em parceria
Sinopse: Kacey Cleary não chora, não suporta o toque das pessoas e canaliza sua energia para treinos intensos de kickboxing. Tudo isso depois de um ano de reabilitação física e de mergulhar num mundo de drogas e álcool para tentar lidar com a perda dos pais, da melhor amiga e do namorado, num acidente de carro do qual ela foi a única sobrevivente. Protagonista de Respire, primeiro livro da série Ten Tiny Breaths, sucesso de K.A. Tucker que chega ao Brasil pelo selo Fábrica 231, Kacey chegou ao fundo do poço, mas resolve lutar para sair de lá por Livie, a irmã caçula. Depois de irem morar com uma tia religiosa fanática e seu marido alcoólatra, as duas fogem para Miami para tentar recomeçar, e Kacey terá que enfrentar seus fantasmas para derrubar o muro que ergueu ao seu redor. Às vezes, respirar torna-se uma missão quase impossível, mas K.A. Tucker mostra que é preciso neste romance sobre perdas, amizade, amor e superação.

Sabe aquele livro que você está enrolando não a meses mas há mais de um ano para ler, e que todos os seus amigos ficam falando para ler, que sabem que vou me apaixonar? Pois bem, eu já disse aqui que deveria aprender, mas nunca aprendo a escutar um pouco mais as pessoas. Respire foi um livro lançado a mais de 1 ano e eu sempre adiei muito essa leitura. Mas quando mês passado vi na News da linda da Rocco o lançamento do segundo volume vi que não tinha mais como fugir, eu precisava ler.

Olha, eu só digo uma coisa para vocês: LEIAM ESSE LIVRO POR TUDO QUE É SAGRADO NESTA VIDA. Pronto me acalmei. Agora irei falar para vocês o que eu verdadeiramente achei dessa maravilha de livro.


Depois de perder quase que toda sua família, melhor amiga e namorado em um acidente de carro tudo que restou para nossa bela Kacey foi sua irmã caçula de 15 anos, isto e um lado de sua personalidade que ela jamais imaginou que teria e muito menos que haveria cura. O fato é que depois de tudo ela não suporta ser tocada, principalmente nas mãos, não consegue dormi direito, seu estado de nervos vive a flor da pele, sexo descontrolado, drogas, e a única coisa que vem a sua mente quando ela chega no limite é: respire, curtinho, dez vezes.

Mas agora Kacey e sua irmã se encontram em Miami, tentando construir um futuro. Com pouco dinheiro e necessitando de uma saída rápida para aquele problema, ela matricula a irmã em uma escola, alugam um pequeno apartamento próximo da praia que por incrível que pareça ainda tem cobras (quase morri nessa cena, tenho fobia) que lhe fazem companhia durante o banho, assim, sem nem ao menos serem convidadas.
"- Não é cansativo? - A ponta do seu polegar acaricia suavemente meu pescoço.
- O que?
- Manter as pessoas afastadas." 
Neste mesmo prédio conhecemos Trent. Com seus 25 anos, chama a atenção de Kacey imediatamente, fazendo ela fantasiar coisas que me mataram de rir as vezes. Mas na verdade o boy da vez te faz mesmo fantasiar, o cara é um verdadeiro nerd, bad boy e lindo de doer. O único que derrubou as barreiras que ela construiu em questão de minutos de conversa. É um tanto clichê não nego, mas é um clichê tão gostoso, um clichê que te faz suspirar.

Os personagens desse livro são tão gostosos de se acompanhar, Trent me fez apaixonar por ele sem ao menos pedir licença, o lado sarcástico, misterioso, protetor, paciente, charmoso, gente sério, quando notei estava babando nas cenas que ele se encontrava. Não existem mais homens assim. Bom existir existe, mas... deixaremos para lá. Rsrs
"- Porque o perdão tem o poder de curar."
Agora vou falar um pouco de Livie, a irmã caçula que é uma gracinha gente. Na verdade, se hoje temos essa história para contar e graças a ela que em um ato de desespero suplicou a irmã que abandonasse as coisas que estavam matando ela cada vez mais e cuidasse tanto dela quanto da própria Kacey. A inteligência dessa menina é incrível, sua sensibilidade com as pessoas em sua volta, sempre colocando os outros na frente, foi uma coisa linda de se ler.


O livro em si mexeu muito comigo, o foco dele é a superação com o luto que nem sempre é uma coisa fácil de lidar, perdas podem ser uma coisa terrível, eu particularmente entendi cada sentimento que a nossa personagem demostrou, a negação, a agressividade, o lado de se auto destruir, passei por todas essas fases, ainda não superei, mas foi gostoso de ver como ela conseguiu. A autora trabalho de um jeito tão bem trabalhado os diálogos, o enredo.

Ah gente, leiam. Eu fiz um grupo de amigas para vocês terem uma ideia só para elas lerem esse livro, e elas estão amando. A construção do respeito e do carinho com irmãs, a ajuda ao próximo sem esperar nada em troca, tudo isso encontramos nesse livro então eu necessito que todos leiam este livro, é uma coisa que não dá para explicar, me fez chorar, sorrir, me fez sentir tudo que um bom livro consegue lhe causar. Sei que se der a chance vai se apaixonar.

Só mais uma característica deste livro lindo. Eu disse que ele trata em foco o luto e a superação não é mesmo? Pois bem, ele é dividido em oito fases (torpor, negação, resistência, aceitação, dependência, abstinência, rompimento e recuperação). Olha gente não vou negar, já disse e repito, esse livro é MARAVILHOSO. Leiam, este foi um dos new adults mais magníficos que li nos últimos tempos.

Beijos






Você vai gostar de ler também...

13 comentários

  1. A sinopse me deixou curiosa e a resenha fez parecer o livro muito legal, mas fiquei confusa: a trama é ela superando o acidente e os traumas? Tem algum suspense e tal ou é mais um tipo de livro adolescente motivacional? Tem cara de livro íntimo, que acerta quem já passou por algo do tipo.

    ResponderExcluir
  2. Eu já vou correr pra ler esse livro <3

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Esse livro me pareceu ser bem interessante.
    Ótima resenha

    ResponderExcluir
  4. Sei bem como é isso, estou vivenciando isso com Pssica e Val fica insistindo todos os dias para eu ler. Nossa, mas não imagina um tema tão forte no livro, fora o título que traz forte simbologia, Respire, não suportar ser tocada não é algo muito trabalhado em livros juvenis, você está certa, preciso ler.

    ResponderExcluir
  5. Oie amore,
    Que capa mais amor GZUISSS... já me interessei pela leitura.
    Mais gostoso é quando demoramos pra ler um livro e nos surpreendemos, então imagino que seja uma leitura muito válida. Vou anotar a dica por aqui!
    Adorei a resenha e as fotos!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Pelo que notei o livro traz uma carga emocional bem forte, e gosto da premissa dele e acredito que irei gostar quando tiver oportunidade de ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. A ideia de trabalhar esses assuntos de perda e recuperação é legal, né? Às vezes atinge mais a pessoa leitora que aquelas tramas amarradas com coisas mais clichês. Gostei da espontaneidade no texto e sua opinião exposta. Até mais :*

    ResponderExcluir
  8. O tema do luto me interessa. Uma pena que tem um clichêzinho do casal, mas acho que isso pode ser relevado. Não conhecia o livro, mas você falou tão bem que fiquei realmente interessada. O título é muito significativo para mim que tenho síndrome do pânico.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Eu já amei pela capa.
    Gosto muito desse tipo de livro, que dá para tirar uma lição de vida.
    Clichê então eu amo rs
    Já quero esse livro, não só porque você super indicou rsrs
    Ótima resenha e ótimo livro!

    ResponderExcluir
  10. Tu comentou tanto desse livro que to mega curiosa em ler kkkk, espero gostar.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu não conhecia ainda esse livro, mas achei muito interessante essa construção ser em oito partes, de acordo com o luto da personagem. Adorei a sua resenha e a dica está mais do que anotada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá,

    Não conhecia o livro, mas pela sinopse me pareceu bem interessante.
    É tão dificil lidar com as perdas, e livros que relatam isso eu acho muito legal.
    Apesar de não ter gostado da capa, vou coloca-ló na minha lista

    Gostei bastante da sua opinião.

    ResponderExcluir
  13. Kah, eu não conhecia o livro.
    E como você disse ele tem mesmo uma pegada clichê, mas gostei da premissa e fiquei encantada com a irmã mais nova.
    Fiquei curiosa em ler.

    ResponderExcluir