a vida na porta da geladeira

Resenha: A Vida na Porta da Geladeira

09:00


Título : A vida na porta da geladeira
Autora: Alice Kuipers
Ano de Lançamento: 2009
Editora: Martins Fontes
Gênero: Drama
Páginas:226
Nota: 2/5
Sinopse: Claire, de 15 anos, e sua mãe têm uma rotina muito atribulada. Nos raros momentos em que a mãe está em casa (ela é obstetra), a filha está na escola, com amigos ou com o namorado. Resultado: as duas quase não se veem e se comunicam deixando recados na porta da geladeira. Esses recados vão desde cobranças banais [Oi, MÃE! (Que eu NUNCA MAIS vi!)] até revelações tocantes e contundentes por parte de mãe e filha durante o penoso tratamento do câncer de mama da mãe, num ano que se revelará decisivo para as duas. Em seu romance de estreia, Kuipers capta a ansiedade por trás da tragédia e revela a importância de viver a vida intensamente, lembrando ao leitor a necessidade de encontrarmos tempo para as pessoas que amamos mesmo em momentos de dificuldade e desafios.

 Olá pessoinhas, vim aqui com mais uma resenha, essa é bem rapidinha, pois o livro além de ter poucas páginas é todo em bilhetes, um bilhete em cada página então é tudo bem louco, em menos de duas horas você consegue fazer essa leitura inteirinha, eu o li enquanto esperava a hidratação agir no meu cabelo KKK. vamos lá falar sobre ele?! 

Claire é uma garota de 15 anos que tem os pais separados e uma mãe não muito presente por causa de seu trabalho como obstreta, as duas quase não se vêem pois Claire estuda, passa algum tempo com o pai e ainda tem um trabalho como babá alguns dias da semana, e a mãe quase sempre está de plantão no hospital e quando chega a filha não está ou já está dormindo.


Vou dormir na casa da Emma de novo. Com amor , Claire

Então vemos o dia a dia, e os desencontros das duas através de bilhetes que são deixados na geladeira, coisas banais como o que comprar no supermercado ou para Claire secar a louça e limpar a gaiola do Peter (o coelho de estimação delas), ou coisas mais sérias como o relacionamento meio abusivo da Claire com um garoto mais velho e o fato da mãe dela descobrir que está com câncer de mama.

Foi estranho para mim ver aquilo ser tratado com poucas palavras, mas essa é a proposta do livro e eu já sabia dela, então não posso reclamar. Outra coisa que achei assustador foi o fato de mesmo a mãe estando doente elas duas não conseguiam achar um tempo uma para a outra, a mãe de Claire mesmo vendo que estava piorando a cada dia não desistia de seu trabalho e ia mesmo assim deixando sua filha desamparada sem saber o que fazer numa situação como aquelas, para uma menina de 15 anos ver sua mãe morrendo um pouco a cada dia e vê-la como se nada tivesse acontecido não deve ser legal.




Ótimo, Claire, agora estou me sentindo uma péssima mãe. Por que não tiramos um tempo para falar da escola, como todo mundo faz? Costumávamos fazer isso, lembra? No sábado nos falamos melhor.
Com amor, Mamãe

Dei duas estrelas apenas para o livro, pois para mim ele não emocionou como eu esperava, foi meio que uma decepção, eu adorei o fato do livro ter uma escrita diferenciada da maioria, mas eu acho que os bilhetes poderiam ter coisas diferentes escritas ali, algo que tocasse mais o leitor, havia páginas que só continha listas de compras enquanto a garota estava claramente perdida em seu relacionamento com sua mãe, talvez isso tenha sido feito propositalmente para mostrar como as duas estavam lidando tão mal com a situação em que estavam no momento.


Não sei se foi algo da cabeça da autora ou se foi algo que eu conclui da minha mente louca mas em nenhum momento o nome da mãe da Claire foi citado e em vários momentos ela briga com a mãe pelo fato dela praticamente parecer que nem existe, seria essa a intenção da autora a não revelar o nome, para termos a ideia de uma quase não existência da personagem na vida de Claire? Espero que vocês leia esse livro para discutir comigo o que acharam, é um livro bem diferente e aposto que tem opiniões totalmente divergentes para ele, você já o leu? Deixe aqui o que achou.

Beijos e até a próxima.

Claire, meu bem, A respiração está um pouco curta. Amanhã vou ao médico de novo. O James telefonou. Perguntou como eu estava. Tive que me segurar pra não chorar. Ele parece muito gentil. 
Com amor, Mamãe


Crédito de imagens: Pausa Para Um Livro


Você vai gostar de ler também...

20 comentários

  1. Oi Gabi! Tudo bem?
    Não me interessei pelo livro. A capa até que é fofinha, a sinopse também é interessante. Mas tive a impressão, pela sua resenha, que apesar de o tema ser bom, é tratado com superficialidade pela autora. Quem sabe em uma outra oportunidade eu leia, mas no momento eu passo. Adorei a sinceridade da resenha! Bj

    ResponderExcluir
  2. Oie!
    A capa do livro é bonita, o título é bem sugestivo, mas não parece que o livro é tão bom, pois aparenta que a autora deixa passar algumas informações importantes, mas quem sabe não posso dar uma chance.
    Obrigada pela sinceridade.
    Beijos, Lari.
    segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Nossa, achei a proposta dos bilhetes super diferente e com certeza gostaria de poder ler também. Gostei da capa, e não tinha ouvido falar no titulo ainda.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Nossa, achei a proposta dos bilhetes super diferente e com certeza gostaria de poder ler também. Gostei da capa, e não tinha ouvido falar no titulo ainda.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  5. Acho a capa fofa e o desenvolvimento da história deve ser bem rápido e gostoso de ler. Anotei a dica aqui e espero poder ler em breve!!! Fiquei curiosa com o nome da mãe... rs
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá amore,
    Simplesmente adorei a capa e o título do livro. E gostei de saber de como o livro é escrito, adoro esses livros diferentes.
    Dica anotada!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá! Também gosto de narrativas diferentes, que se destacam pela criatividade. É uma pena, no entanto, que faltou profundidade. É difícil dar um quê mais realístico a esse enredo somente usando bilhetinhos. Mas valeu a iniciativa da autora.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Eu ganhei esse livro em um sorteio a um tempo atrás, mas acredita que até hoje eu não consegui pegá-lo para ler.
    Achei super interessante ele ser vários recadinhos de porta de geladeira, como o próprio título nos diz e já que é uma leitura rápida vou tentar fazê-la no fim de semana. Fiquei um pouco triste por você não ter gostado tanto e achar que poderiam ser escritas outras coisas.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá Gabis,
    Que livro inusitado e diferente. Estou meio que boquiaberta com a ideia da obra e não consegui assimilar isso muito bem. O livro é composto de bilhetes e há discussão nos bilhetes?
    Acho que se a protagonista sente que a mãe é distante essa ideia de não falar o nome dela é bem interessante.
    Vou deixar a dica passar, pois não me senti cativada.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Com certeza é um livro com potencial, mas a proposta dos bilhetes precisa ser muito bem construída para passar tudo aquilo que precisa, é uma pena que não tenha sido tudo isso. Lembrei de Simplesmente Acontece, que é um livro todo em cartas, emails, mensagens e surpreendente, mas também dá uma aflição querer saber mais sobre os personagens e só ter aquilo disponível pra nós leitores. Afinal, são experiências de leitura, não é?
    Xoxo,

    Luana do lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. A proposta é, no mínimo, interessante, mas acho que eu não conseguiria aproveitá-lo da forma que eu imagino que a autora quer.
    Imagino que seja como você disse, querer mostrar o problema do relacionamento, mas não sei se me tocaria...
    Enfim, não tenho vontade de ler, mas obrigada pela dica!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  12. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas gostei de o conhecer... Que bom que gostaste!! :)´

    Ei! Essa conclusão foi mesmo "boom!" ahah Eu talvez leia so para essa duvida não ficar aqui! :) hehe

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Gabis, eu não conhecia o livro, e é uma pena que ele não tenha te agradado. Achei muito interessante a parte dos bilhetes, pena mesmo que não foi usado adequadamente, assim, eu passo a dica.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Olá
    Não conhecia o livro, mas a premissa me encantou muito saber que o livro e basicamente troca de bilhetes. Acho que eu ficaria meio frustrada vendo a mãe não desistindo do trabalho mesmo doente e não tendo tempo para filha e nem a filha para ela.Parece ser uma leitura bem rapidinha e fluida.Espero algum dia ler .Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Gente adorei o plot do livro, nunca tinha ouvido falar antes, mas adorei o lance dos recadinhos na geladeira e tudo mais, achei genial.
    Com certeza vou anotar aqui pra ler depois.

    Paraíso Literário
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. realmente, achei a proposta dele bem peculiar, diferente de tudo que já vi/li até hoje... uma pena ele não empolgar, apesar da escrita diferenciada... não gosto de dramas tratados de forma rasa... e ele é bem pequeno, nossa... hehhehe
    bjs...

    ResponderExcluir
  17. Hi baby, tudo bem? adorei o fato do livro ser em forma de bilhetes, acho que por isso você e outras pessoas podem não ter se emocionado! pode soar muito vago esse formato, mas mesmo assim achei uma ideia muito interessante!

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  18. Oi Gabis!

    Comecei lendo sua resenha bem animada, pois adoro esse tipo de livro assim. Mas terminei murcha...hahaha É uma pena saber que os assuntos foram trabalhados com superficialidade sendo que tinha potecial para serem profundos e tocantes. Achei a capa bem fofinha.

    Obrigada pela resenha.
    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  19. Que pena que o livro não empolga, pois pela premissa tinha tudo para ser bom, ao menos para mim, que curto muito um bom drama. Talvez tenha sido a abordagem da autora, que não conseguiu ir além do raso, o que faça com que a obra não consiga empolgar. De qualquer forma, esse tipo de relação tão distante entre mãe e filha é algo tocante, sobretudo considerando o problema da mãe.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  20. Um livro escrito no formato de bilhetes tratando de temas tão tensos?
    Pelo que li na tua resenha, não parece que ele é tão bom quanto poderia porque achei a proposta de escrita bem diferenciada, no entanto... não posso opinar sobre algo que ainda não li, então vou esperar para ler e ver o que acho.

    ResponderExcluir