Resenha: O Diário de Anne Frank

escrito por - quarta-feira, outubro 05, 2016


Título: O Diário de Anne Frank
Autora: Anne Frank
Editora: Record
Páginas: 350
Gênero: Autobiografia
Nota: 3,5/5
Sinopse:O depoimento da pequena Anne Frank, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã, ainda hoje emociona leitores no mundo inteiro. Seus diário narra os sentimentos, medos e pequenas alegrias de uma menina judia que, com sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocausto.Lançado em 1947, O Diário de Anne Frank tronou-se um dos maiores sucessos editoriais de todos os tempos. Um livro tocante e importante que conta às novas gerações os horrores da perseguição aos judeus durante a Segunda Guerra Mundial.
Agora, seis décadas após ter sido escrito, este relato finalmente é publicado na íntegra, com um caderno de fotos e o resgate de trechos que permaneciam inéditos. Uma nova edição que aprofunda e aumenta nossa compreensão da vida e da personalidade dessa menina que se transformou em um dos grandes símbolos da luta contra a opressão e a injustiça. E consagra O Diário de Anne Frank como um dos livros de maior importância do século XX. Uma obra que deve ser lida por todos, para evitar que atrocidades parecidas voltem a acontecer neste mundo.


Resenha: Olá pessoal, venho aqui dizer que fiquei com certo medo de resenhar esse livro, pois ele parece ser o precioso de todo mundo, e que ninguém irá aguentar ouvir nenhuma crítica sequer sobre ele, então antes de começar só quero fazer o pedido de não ser linxada.


Acho que todo mundo sabe que o livro é baseado em fatos reais, ele é realmente o Diário de uma garotinha chamada Anne Frank que o escreveu na época do Holocausto, e euzinha sou a maluca do Holocausto, eu não posso ver um livro sobre a segunda guerra que eu já fico louca e gritando, pode ser sempre falando sobre a mesma dor e sofrimento dos judeus mas eu sempre gosto de ler coisas diferentes pois cada pessoa que passou por aquilo tem uma visão diferente do que aconteceu, cada dor é distinta da outra.

E aqui temos a dessa garotinha, ela foi sortuda de conseguir se esconder assim que as coisas ficaram ruins, na empresa onde seu pai antigamente trabalhava foi construido um esconderijo no sotão onde ela viveu por alguns anos junto com os pais, a irmã e outros refugiados e era ajudada pelos funcionarios dos seus pais que levavam comida e suprimento para os mesmos e então a partir da visão do que Anne escreve no diário sabemos o que acontece ali no esconderijo.

Sabe quanto tanta gente fala tão bem de um livro que você vai nele com toda a sua cota de expectativa? NÃO FAÇAM ISSO, o livro não é ruim, ele é muito bom até, mas se você for com todas as expectativas do mundo que nem eu , acho que irá se decepcionar. Achei o livro de vezes monótono, mas era esse mesmo sentimento que Anne estava sentindo estando ali presa sem poder fazer nada e escondida de pessoas que a queriam mortas apenas pela sua religião,

Mas eu amei por demais a personalidade da Anne, ela é uma garota forte e determinada que não gosta de ser contrariada e tem uma opnião forte sobre tudo e não deixa ninguém muda-la, o que irrita muito a mãe da mesma que é uma pessoa que gosta de seguir regras e não se conforma com o fato de Anne não ser uma dama educada e nada submissa quando se trata de homens.

Junto com Anne também vive a familia Van Pels que por vezes eram as únicas diversões do esconderijo por brigarem todo dia por motivos inúteis, mas o melhor dessa familia é seu filho Peter, por quem no começo Anne mantém uma certa distância, mas com o tempo vai criando uma amizade e isso se torna um amor, e eu nunca vi uma amor tão puro quanto o de Peter e Anne, você vê aquilo crescendo com o passar dos dias, e do sofrimento deles dois ali,do descontentamento com suas respectivas famílias por não entenderem eles e como um se apoia no outro até o final, no primeiro beijo deles eu juro a vocês que chorei, sou uma manteiga derretiva, podem falar.

O clima do livro é pura tensão, você vive esperando o momento que os nazistas irão achar o esconderijo,e em várias vezes isso fica prestes a acontecer e você fica por roer as unhas, em alguns episodios eles tem que ficar por horas e horas em silêncio na mesma posição que estão para quem está lá embaixo não descobrirem sobre ele e até você mesmo permanece em silêncio com medo do seu próprio barulho entregar que eles estão ali.

Agora depois de falar tantas coisas boas vocês devem estar se perguntando o motivo deu ter dito que me decepcionei com o livro.Eu já li muitos livros sobre o holocausto, muitos mesmo, já perdi até a conta, e pretendo continuar lendo outros, mas Anne Frank eu não tive a mesma carga de emoções que tive com outros livros sobre o tema, o livro é bom ? sim,muito, mas ele não emociona,não te deixa naquela agonia que você sempre sente lendo algo sobre o tema, o que até é bom por um lado pois eles sim sofreram mas não no mesmo nível das pessoas que se encontravam no campo de concentração, então é isso que não me agradou tanto assim, me digam o que acharam do livro se já leram e se discordam ou concordam comigo, beijos e até a próxima.



Você vai gostar de ler...

17 comentários

  1. Eu amei esse livro, mas realmente tenho que concordar contigo que não houve uma carga de emoções. Gostei da forma como Anne fez do diário sua melhor amiga e como ela era forte!

    Beijos. | * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Eu li ele ainda na escola, eu gostei bastante, foi um dos primeiros sobre a segunda guerra.
    Eu entendo seu ponto, quando a gente se enche demais de espectativas a chance de decepção é muito grande, pelo menos comigo.

    ResponderExcluir
  3. Eu não li o livro ainda, na verdade por falta de interesse mesmo. Também amo histórias passadas na Segunda Guerra, e já li vários tbm, mas nunca tive muita curiosidade para ler O Diário de Anne Frank. Acho que o fato dela ser só uma menina e estar escrevendo um diário, meio que já deixa implícito que não teremos muita carga emocional,então nunca esperei muita coisa dele. As crianças viam o ocorrido de outra forma. Enfim... eu tenho vontade de ler, mas não é algo assim que me mate de vontade...

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu simplesmente amo esse livro! Foi o primeiro livro que li que tive o contato direto assim com o holocausto, então sempre ficou guardado na minha memória. Mas acho que foi esse o motivo de você se decepcionar, porque já tinha uma certa experiência nesse tipo de leitura.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. kkkkk realmente esse livro é o precioso de muita gente né? mas não o meu, acho que assim como você fui com muita sede ao pote conferir essa história. Quando terminei pensei apenas, ok... legal! mas não mais que isso! Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi. Esse livro já está há muito tempo na minha lista de leituras, tenho ele na minha eatante, mas quem disse que eu li? Até agora nada! Preciso ler aténo fim de ano, ou no começo do ano que vem.

    ResponderExcluir
  7. Ola Gabis lindona, ainda não li esse livro, mas pode ser que você tenha ido com muitas expectativas no livro, eu confesso que leituras monótonas me desanima um pouco e por se tratar de um diário é quase inevitável. Pretendo ler em outro momento e não vou te linchar tá rsss. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Minha meta de vida é ler esse livro.
    Sempre tem alguma coisa que me impede... é um inferno!
    Sei bem como é esse negocio de ir com muita sede ao pote e não ser bem assim! Acontece nas melhores famílias! ;)


    #Ana
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Acho que por ser um diário pessoal a leitura desse livro deve ser uma experiência ainda mais única do que seria a leitura de uma ficção. É inegável que a história dela é triste e nos sensibiliza mas acho que por serem relatos dos momentos em que ela se manteve escondida não haja uma carga emocional muito intensa. Ainda assim creio que seja uma leitura essencial pra quem gosta do tema.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Eu não curto muito livros sobre os temas da guerra, então ainda não li esse livro. Só que esse não foi o principal motivo... É que eu já li algumas coisas sobre o período do Holocausto e para mim, ficar repetindo a mesma história por outros pontos de vista se torna muito cansativo e me irrita. Saber que esse livro é um tanto que monótono e que não tem tanta emoção - embora entenda a razão de ser assim - me faz deixar ele ainda mais de lado.
    Acho que o fato de ser uma garotinha escrevendo e de ser muito comentado inclusive por outros autores fez esse livro ter mais grandiosidade do que ele realmente tem. Não que não seja uma boa leitura, só acredito que não é para tanto como todos falam...
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  11. Já li o livro e ele realmente merece uma chance. Ele surpreende em cada capitulo e consegue encantar o leitor com os relatos de Anne. A tensão presente em cada momento prende quem está lendo até o fim, e sim é uma otima pedida para quem quer fugir de clichês.

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Eu preciso tomar vergonha na cara e tentar novamente ler esse clássico.
    Também sou meio louca pelo Holocausto e adoro ler obras que falem sobre o tema.
    Havia iniciado a leitura desse livro, mas como peguei emprestado na biblioteca da cidade, era uma edição bem antiga com uma letra minúscula e zero de espaçamento. Isso me incomodou muito na leitura e acabei abandonando. Mas quero muito ler completamente a obra.
    Fico feliz que seja uma boa leitura e não sei se também sentiria falta de algo a mais por eles não estarem em um campo de concentração.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Esse foi o primeiro livro que li sobre o Holocausto, ainda era quase uma criança como a Anne era quando escreveu e ele me impactou muito, foi o que me fez me interessar tanto pelo tema. Acho que você tinha expectativas de encontrar algo que o livro não tem como oferecer, claro que os que contam acontecimentos dos campos de concentração/ extermínio mexem mais com a gente, mas esse é apenas o relato de uma garotinha antes da vida dela virar um completo inferno. Como só o pai dela sobreviveu aos campos, ficou como foi encontrado.

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    Esse é um dos melhores livros que li na minha vida e realmente é tocante e um bocado reflexivo. Fico feliz que você também tenha apreciado a história e se emocionado com a mesma.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  15. IOie
    sou bem suspeita para falar pois sempre adorei essa parte da história e a história de Anne, foi o que me motivou para saber mais sobre a segunda guerra em geral, muito legal sua resenha e adoro essa edição

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oie!!
    Menina deixa eu te falar uma coisa, eu não tenho coragem de ler livros sobre o holocausto, diferente de você... Tenho curiosidade para ler esse livro de tanto que falam sobre ele, mas ainda não tenho coragem.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  17. Eu sempre tive receio de ler esse livro... eu já sofro com simples personagens, imagine com histórias reais da época do holocausto T^T

    Tenho vontade de conhecer mais, mas acho que me falta coragem... admiro você por conseguir rsrs

    bjs - Papierllon

    ResponderExcluir