8 de dez de 2017

Resenha: Prazer em Julgamento


Sabe aquele livro que tem uma escrita fluida, simples, nada complexa mesmo, mas ao mesmo tempo cativante? Que quando nota está finalizando a leitura e se pergunta como não percebeu isso antes? Foi o que aconteceu comigo ao ler Prazer em julgamento e fico mais do que feliz de ter tido essa sensação, porem com algumas ressalvas por isso vou falar para vocês agora o que achei, vamos lá?!

Título: Prazer em Julgamento
Autor(a): Nina Muller
Editora: Essência
Páginas: 224
Ano de Publicação: 2017
Gênero: Romance
Nota: 3/5
Sinopse: Primeiro livro físico da autora fenômeno de vendas na internet
Lívia é uma psicóloga dedicada e tenente da aeronáutica. Vítima de um relacionamento abusivo no fim da adolescência, ela não se sente capaz de se relacionar de maneira saudável com outra pessoa. No entanto, um de seus primeiros pacientes é seu colega de farda Rodrigo Guerra, um piloto suspenso pelo comandante da base por arriscar sua vida e o equipamento com manobras ousadas demais no ar. Agora, ela não consegue evitar a eletricidade que percorre seu corpo toda vez que encontra Rodrigo, e o resultado dessa complexa relação entre terapeuta e paciente é imprevisível.
Prazer em Julgamento, primeiro livro físico da escritora Nina Müller, fala da redescoberta da sexualidade e do prazer de uma mulher abalada pelos traumas do passado.
Nessa história vamos conhecer a Lívia Venturini, jovem formada em psicologia, muito reservada e que carrega um trauma que sofreu em seu passado que até hoje tem grande impacto em tudo que decide fazer. Até que enfim ela se torna psicóloga da Força Aérea Brasileira (FAB), o sonho de muitos psicólogos e mesmo estando em estágio probatório ela quer se dedicar ao máximo para manter o trabalho que tanto batalhou para ter. Porem logo de cara ela tem o primeiro paciente mais complicado que ela poderia ter.

"Era algo inexplicável, uma conexão incrível. Nunca tinha me sentido assim antes. Lívia conseguia extrair de mim até o que eu nem sabia que tinha. E, ao mesmo tempo que isso me assustava, era muito bom."

Eis que Rodrigo Guerra surge na vida dessa mulher para deixar ela totalmente fora dos eixos. Sabe o paciente complicado? Então, o nosso moço aqui é viciado em adrenalina e está dando problemas na sua base, com isso o seu superior encaminha o moço para a terapia para tentar conter esses impulsos. Eis que quando ele coloca os olhos em Lívia ele sente a necessidade de conhecer e ter essa mulher em sua vida. Ele sente que ela será um desafio para ele, e a disposição para esse desafio cresce a cada vez que se falam.


Bom, o livro como eu disse me conquistou, tem uma escrita fluida, os capítulos são alternados entre Lívia e Rodrigo, o que para mim é muito bom, pois eu adoro livros assim, mas eu também senti uma história muito superficial, a autora colocou o passado de Lívia de uma forma tão leviana, em segundo plano, ela mais mencionava o acontecido do que explorou realmente e isso me deixou um tanto incomoda, pois ela tinha uma história muito boa, mas foi superficial. 

A forma como Lívia realmente superou os traumas vividos, tudo isso ficou em segundo plano, e infelizmente material para o assunto nos temos, afinal, Lívia sofreu por muito tempo de violência domestica e isso vem acontecendo cada vez mais no Brasil infelizmente. 

Porem é um romance gostoso de ler e que vale a pena, você fica com certa vontade de saber mais sobre os outros personagens envolvidos dos quais eu espero que a editora publique pois pelas minhas pesquisas já tem sim livros sobre eles. Então gente, foi isso o que senti e achei ao ler Prazer em Julgamento e espero que tenham gostado.

Beijos

14 comentários:

  1. Oiie
    Adoro livros com leitura fluída e simples, porém também não gosto muito quando quando a estória é superficial. Em geral, o livro me chamou atenção, então já adicionei a listinha. ADorei saber sua opinião sobre o livro.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A que bom que adicionou na sua lista, espero que goste, depois volte aqui para debatermos.

      Beijos

      Excluir
  2. Oiii Kah

    Uma pena que a autora tenha desaproveitado muitas das coisas que poderiam ter conferido à história maior emoç7o e intensidade, deixar em segundo plano o passado da protagonista realmente foi uam falha pelo que vc conta. Adoro livros com capitulos intercalados entre personagens, é ótimo conhecer mais de um ponto de vista e geralmente deixa a história mais ágil

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu também amo histórias com pontos de vista intercalados, é uma delicia. Mas ela falhou um pouco, faz parte né?!

      Beijos

      Excluir
  3. Me pareceu uma história apaixonante e bem gostosa de ler como você falou.
    Eu curti saber um pouco sobre ela e me deixou mega curiosa saber mais sobre o romance entre os dois.
    Meu único problema com romances, é exatamente isso que você disse. O fato de focarem apenas no romance e não abrirem para outros temas. Como você, eu também acho que poderia ter se voltado um pouco melhor para os traumas do passado dela, de forma que este fosse mais detalhado. Os livros podem fazer com que as pessoas se identifiquem e queiram também mudar suas situações.
    Gostei de saber que o mocinho também narra a história. rs
    Enfim, grata pela dica! Ele chega a ser hot? Primeira vez que um livro desse gênero me aguçou tanto a curiosidade.
    Sucesso! Beijão!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, fico feliz que tenha lhe dado a curiosidade, e não ele não chega a ser hot, tem suas cenas mais calientes mas não chega a ser o foco, então eu recomendo se não é acostumada com o tipo de leitura.

      Beijos

      Excluir
  4. Gostei de conhecer essa história através do seu post. Porém, apesar de gostar de romances desse estilo, essa história não me chamou muito a atenção. Acho que deixo para um outro momento.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A tudo bem meu bem, quem sabe na próxima não é mesmo?

      Beijos

      Excluir
  5. Oi!
    Lendo a sinopse bateu até uma vontade de ler, mas as suas ressalvas me tirou a motivação, o trauma não devia ser tratado de forma leviana ou supérflua, eu pensaria igual a você.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Ainda não conhecia o livro, mas achei uma pena que você tenha achado superficial. Realmente, é uma pena que a autora não tenha aprofundado a questão da violência doméstica, uma vez que este é um tema muito importante e atual (infelizmente).
    Mas que bom que pelo menos a leitura é fluida e envolvente. Deve ser interessante para intercalar com leituras mais densas.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, para intercalar ela é muito boa, vale a pena.

      Beijos

      Excluir
  7. Lamento por saber que a autora não aproveitou bem determinados assuntos da trama. Acredito que ficaria decepcionada ao me deparar com a superficialidade dada a alguns temas, como por exemplo a situação do trama, que ao meu ver é importante e séria demais para não ser levada em consideração com a devida atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poise, isso desanimou um pouco mas faz parte né, nem tudo é perfeito.

      Excluir